segunda-feira, 17 de junho de 2019

Estará o Real a montar uma equipa de galácticos?





O Real Madrid foi uma das equipas que mais desiludiu esta época. A saída de Cristiano Ronaldo para a Juventus fez muita mossa no colosso espanhol, e a época foi um desastre total: foram eliminados nos oitavos de final da Liga dos Campeões e ficaram em terceiro na Liga Espanhola com resultados humilhantes, e muito longe do campeão Barcelona. 

Decidido a inverter estes resultados, a turma Merengue entrou em grande no mercado de transferências e já gastou qualquer coisa como 303 milhões de euros. Eden Hazard é, até agora, a grande contratação da época e chega proveniente do Chelsea, onde era estrelas da equipa. O internacional belga custou 100 milhões de euros e é um dos nomes que mais esperanças dá aos adeptos.

Com uma aposta vincada em grandes promessas, o Real Madrid já assegurou a contratação  do jovem goleador Luka Jovic por 60 milhões de euros.. O avançado sérvio foi uma das revelações da liga alemã tendo apontado 27 golos pelo Eintracht Frankfurt. Com apenas 21 anos Jovic promete ser um dos goleadores da equipa de Zidane.

O central Éder Militão é outras das contratações da turma espanhola. O ex-jogador do FC Porto foi uma das revelações da Liga Portuguesa e promete impor-se como um dos melhores centrais da sua geração. Foi um pilar essencial da equipa de Sérgio Conceição. Ferland Mendy foi o senhor que seguiu.  O defesa esquerdo do Senegal foi uma das revelações da época do Lyon, e a sua contratação pode significar a saída do lateral brasileiro Marcelo.

Rodrygo é até agora a contratação mais barata… e custou 45 milhões de euros. É mais uma jovem promessa brasileira, e tem apenas 18 anos. Atualmente é ainda desconhecido da maioria dos adeptos, mas promete ser um dos próximos goleadores da seleção brasileira.

Resumindo, o Real Madrid gastou até agora 303 milhões de euros a pensar numa equipa para o presente e o futuro, visto que nas cinco contratações o clube de Madrid preocupou-se em contratar jogadores jovens com uma margem de progressão e um crescimento enorme. Perante estas apostas estará o Real Madrid a montar uma equipa galáctica?  

Cristiana Ribeiro Pina 


quinta-feira, 13 de junho de 2019

É hora de passar o testemunho!


Ainda são apenas especulações - se bem que são meramente fundadas -, mas há a possibilidade de Gianluigi Buffon ser reforço do FC Porto.
A retirada forçada de Iker Casillas e a temporada pouco bem sucedida do italiano em França são os principais motes para a contratação que pode estar muito próxima de acontecer.


Num clube como o FC Porto caracterizado pelos grandes nomes que já ocuparam a baliza, Buffon seria mais um ícone, uma referencia que deixaria os adeptos felizes.
Ao que se sabe é que o desejo é de ambas as partes, mas até à confirmação ainda vai um grande passo.

Para trás fica a passagem bem conseguida de Casillas. O espanhol que já venceu tudo e mais alguma coisa, que é o guarda-redes com mais jogos da Champions, foi um dos nomes mais aclamados no Dragão. Desde o inicio demonstrou um amor à camisola incondicional, conseguiu ser um nome forte no balneário e proporcionou ao FC Porto maior projeção na Europa. As boas exibições colmataram jogos menos conseguidos e apesar da forma triste que terminou a carreira, vai ser sempre lembrado pelo jogador com pior feitio do plantel, mas com uma qualidade inegável, mesmo que a idade já pudesse pesar.


Mas nada é eterno e está na hora de passar o testemunho. E há por aí algum guarda-redes tão emblemático para substituir Casillas se não Buffon? 
Faltou-lhe ganhar a Champions e só numa miragem é que a poderia ganhar aqui, mas uma coisa é certa, o respeito já o tem, mesmo sem ser um dos nossos. E esse respeito é global, dificilmente há no mundo alguém que não goste do italiano.


No entanto, e apesar de ser sempre um nome que pode agitar o mercado, continuo acreditar que está na hora de apostar na formação, apostar no presente para continuar a ter no futuro. E todos sabemos que a idade nem sempre é só um número.




Filipa Mesquita

segunda-feira, 10 de junho de 2019

Outra vez a fazer história


Obrigada. Obrigada. Obrigada. Em três anos a Selecção Nacional conquistou o segundo título na segunda final, consecutiva também , numa Competição Oficial da UEFA. 

Fora de mimimis: Fernando Santos fez mais por este plantel desde que chegou que qualquer um outro que tenha cá estado antes dele. Ele que se mantenha, ele que não ligue quando dizem que ele não é homem para o comando da equipa e ele que perceba que se hoje somos Campeões Europeus, é muito graças a ele! 

Continuo sem perceber as monstruosas críticas que lhe são feitas, contudo entendo que o futebol não seja o mais bonito de sempre, mas tal como disse a semana passada (aqui) , o Engenheiro sabe o que faz. Podem chamar-lhe o que quiserem, mas a verdade é que nenhum, repito : nenhum, nos deu os títulos que ele nos deu. Somos finalmente respeitados na Europa e devemos-lhe isso!

Ontem voltámos a fazer história, ganhámos a primeira Liga das Nações a jogar em casa. O jogo com a Suíça foi um ai Jesus, valeu-nos o melhor do Mundo e um Hat-trick monstruoso, chegámos à final com a certeza de que nunca seria um jogo simples. Teríamos de lutar, teríamos de transpirar e se jogássemos com a alma vitoriosa que temos, sabíamos que seríamos invencíveis. Afinal de contas estávamos a jogar em casa. 

Felizmente fomos isso tudo! Ao contrário daquilo que aconteceu no jogo com a Suíça, onde estivémos longe de mostrar todo o nosso potencial colectivo em campo, (valeu o Melhor do Mundo uma vez mais com a sua qualidade  inegável ) no jogo de ontem vimos entrega do primeiro ao último minuto, ninguém jogou para ninguém, não existiram estrelas (até porque para mal das capas de jornais de hoje o Félix não jogou ), existiu futebol a sério e um Gonçalo Guedes e um Bernardo Silva com uma jogada brilhante a fazer o golo da vitória. 

E no fim ? Bem, no fim, foi ver o Capitão a levantar a Taça, ver o Rúben Dias a ser considerado (e bem) o melhor em campo, ver a dor do Pepe que não pôde jogar, ver a felicidade na cara daqueles que não puderam estar em França há 3 anos atrás e ver a Festa no Estádio do Dragão e nos Aliados . 
E que bonita que ela foi !

De qualquer forma, quero só deixar uma última nota: Míster, obrigada pelos dois títulos e acredite, está a habituar-nos bem demais, tanto que acreditamos que o de Bi-Campeão Europeu é nosso, e consigo ao comando deste barco que nos faz marchar até à vitória final! 

Mariana Cordeiro Ferreira