sexta-feira, 20 de julho de 2018

Ganhou quem não soube ganhar!


O mundial acabou há uns dias, mas ainda há muita coisa que se vai falando, quer seja bom ou mau.


Esta final fez-me lembrar, em demasia, a final em que fomos nós a ganhar. A final em que fomos ao céu e festejamos juntos, como povo unido que somos. Talvez por sermos um povo que sabe perder, fomos, indiscutivelmente, um país que soube ganhar. É nosso apanágio respeitar os adversários, olhar olhos nos olhos, e não menosprezar ninguém. Creio que são algumas coisas que devessemos ensinar aos franceses. Quisessem eles aprender! 



Não vou falar da justiça, ou falta dela, na vitória do Mundial. Porque realmente não há campeões sem sorte, e neste caso, sem ajudas, mas a verdade é que a vitória foi conquistada nos 90 minutos, mas foi tão mal festejada depois. Mortos, feridos, confrontos, assaltos, carros incendiados, destruídos... Caramba. É isto que entendem por festejar? É assim que querem honrar o vosso país?
A França ganhou o Mundial, mas o que fica não é a vitória sobre a Croácia, é o desrespeito posterior pelas pessoas e pelas coisas. Que povo mais pequenino. Agigantam-se no futebol, mas diminui-se no resto.



Comparemos agora com os festejos da Croácia... A equipa sensação. A equipa que ficou em segundo lugar. Naquele lugar cruel, que deixa sempre a sentimento de injustiça. O que os croatas fizeram foi festejar, unir-se, espalhar o amor pelo próximo. Estes sim foram os vencedores. Conquistaram o respeito de todos. A par da Bélgica, as duas seleções sensação deste Mundial. As duas seleções que mereciam mais. As duas seleções que certamente saberiam festejar e honrar as cores que representam.



Ainda és tão pequenina, França, nem o Mundial é capaz de te fazer maior. E nós, o país à beira mar plantado, continuamos a ser os campeões da Europa, e o povo que festeja com amor.





quarta-feira, 18 de julho de 2018

Mundial2018: As 5 equipas que mais desiludiram



O Mundial 2018 terminou no passado domingo. Foram cerca de 64 jogos, muitas surpresas e muitas desilusões. Eu disse desilusões? Pois é disso mesmo que hoje vos venho falar.

 1.     Alemanha
Com rótulo de campeã mundial depois da vitória em 2014, as expetativas em torno da turma germânica eram enormes. E talvez, por isso esta tenha sido a maior de desilusão. Com apenas uma vitória em três jogos, a Alemanha ficou em último lugar no grupo F, onde era de longe a favorita. Apresentou um futebol pobre e desinspirado, e uma dinâmica muito longe daquilo a que estávamos habituados. Morreu um mito de "que no futebol são 11 contra 11 e no fim ganha a Alemanha”, e morreu um pouco da admiração que todos tínhamos pelo futebol alemão.

2.     Espanha
     Após ter ficado à frente de Portugal no grupo, e depois te ter “caído” para o lado bom do sorteio, a Espanha desiludiu. Apontada como uma das favoritas à conquista do troféu, caiu frente à seleção da casa. Jogou pouco, e nos quatro jogos que disputou não apresentou um futebol convincente. Esperava mais, e confesso que fiquei triste por ver o Iniesta despedir-se assim das grandes competições. 

      3.     Argentina
     Na teoria, uma seleção com Messi e Dybala é sempre favorita. Porém, não foi o caso desta Argentina. Caiu nos oitavos de final frente àquela que viria a sagrar-se campeã, a França. Contudo, ao longo dos quatro jogos pouco jogou. Sampaoli apresentou uma seleção sem fio de jogo, sem uma tática definida, e os jogadores pareciam não saber o que fazer em campo. Para mim, um treinador que não consegue conjugar os dois melhores jogadores argentinos, e que se dá ao luxo de deixar um goleador como Icardi de fora do mundial, não tem, qualidade para liderar uma histórica seleção como é a “Albiceleste”.

 4. Brasil 
Rodeado de estrelas e individualidades, a seleção Canarinha era também uma das favoritas. A conquista do hexacampeonato era algo muito ambicionado pelo povo brasileiro, mas dentro de campo os pupilos de Tite nunca conseguiram demonstrar o seu potencial. Neymar, uma das estrelas da equipa foi também uma das desilusões do mundial.

 5. Portugal 
Apesar de não estar desiludida, porque demos o nosso melhor. A verdade é que esperava mais da seleção nacional. Como Campeões da Europa tínhamos obrigação de jogar melhor, tínhamos obrigação de não ter desperdiçado a oportunidade de passar em primeiro no grupo, quando dependia exclusivamente de nós. A verdade é que esse pormenor na classificação podia ter mudado muita coisa, e hoje o nosso percurso no mundial podia ser outro. 
 Cristiana Ribeiro Pina 

segunda-feira, 16 de julho de 2018

A Lei do mais forte


Pronto... Acabou. No futebol são 11 contra 11 e no fim... Ganhou a França. 

Se fiquei contente? Ahahahahahah..... Não. Por muito que queira não consigo dar os Parabéns à França, pelo menos de forma sincera. Como é lógico, e como amante do desporto rei, sei a qualidade que tem, e teve, a equipa francesa ao longo de todo o torneio, mas ainda assim, para mim, a Croácia é que merecia ter ganho. Porquê? 

Veio dos Play-off's de acesso à fase de grupos, teve um grupo muito mais complicado que a equipa francesa: Argentina, Nigéria e Islândia, em conjunto, são muito mais complicadas que Dinamarca, Peru e Austrália. 

Nos oitavos, o teste francês foi mais complicado, mas a Croácia ultrapassou a Dinamarca no penaltis, seguiu-se a Rússia enquanto a França despachou o Uruguai. A Croácia voltou a vencer nos penaltis... E só nas meias-finais é que a França começou a ver a vida dela a andar para trás quando do outro lado esteve a Bélgica. A Inglaterra também não foi pêra doce para a Croácia, mas passou-se.

Não escondi nunca que a minha final ideal era Bélgica x Croácia , mas não foi possível, e independentemente de terem ganho os franceses ontem, todos sabíamos que o jogo era muito complicado para a equipa de Modric e Rakitic. 

Acreditámos, acreditou o Mundo, mas os franceses chegaram, jogaram, marcaram e venceram. Não há muito mais que se possa dizer, ainda assim é bom saber que vimos a Croácia fazer história e ao contrário daquilo que aconteceu com a Final do Brasil onde mais de metade do Mundo não se recorda a quem ganhou a Alemanha (só para recordar que foi à Argentina 1-0 com um golo do Gotze no prolongamento ), o mesmo nunca acontecerá com esta Croácia. Esta equipa fez por merecer o respeito do Mundo e eu, tenho o maior orgulho do Mundo nela! 

Quanto à França, até pode ser Campeã do Mundo, mas não é Campeã da Europa. E para todos os críticos da Selecção Portuguesa e que desvalorizaram a vitória no Europeu, venho só recordar que em 2016 ganhámos aos dois finalistas. 

Até 2022 Mundial ! 

Mariana Cordeiro Ferreira