segunda-feira, 5 de setembro de 2016

#ObrigadaSlimani


Vou começar o artigo de opinião de hoje com uma parte de uma música do Dengaz. "Primeiro que tudo Obrigado, pelo amor, pela amizade e por estares do Meu lado". Não poderia começar de outra forma, é o Sli. É o nosso Slimani, o nosso menino. 

Mesmo tendo saído dos relvados lisboetas, este argelino nunca deixará de fazer parte desta família, desta casa. Vou ter saudades, vou ter muitas saudades. Em boa verdade, este homem foi um dos três avançados que mais me marcou nos últimos 20 anos do Sporting. 

A par com o Liedson e com o Jardel, o Sli é o menino dos novos tempos. Foram muitos os jogos em que se esgatanhou (sim, esgatanhou) para marcar um golo. Chegou, tomou o lugar de outro grande avançado (Montero meu amor podes voltar! Eu disse que o Barcos não prestava!!! ) e conseguiu impor-se. 

Fez-nos render à sua capacidade de se reeinventar, reposicionar e de mostrar que conseguia fazer o que muitos consideram impossível. Quis sair? Claro que quis. Ele chegou a Alvalade depois de terem dado 300 mil € por ele, saiu por mais de 30 milhões. Ele sabe que o tornámos num melhor jogador, num melhor avançado e num dos pontas de lança mais temidos do campeonato português. 

Fizemos muito por ele, mas ele também fez muito por nós. 111 jogos de leão ao peito, 57 golos, uma garra como muitos, mas um amor inexplicável como poucos. Ele passou a ser maior do que a sua verdadeira altura em todos os nossos corações. 

Era o gajo que no inicio era trapalhão, mas que bem trabalhado e bem coordenado (Obrigada JJ e Marco  por esse feito!) passou a ser o Rei. O Rei Leão, o Rei Slimani. O argelino que ajudou na Supertaça, ajudou no campeonato e na Taça de Portugal. É o homem do ramadão, o homem que reza a Alá antes de começar o jogo e homem que agradece depois de cada golo marcado. 

O Sli é hoje um homem mais valioso, um homem mais forte e um goleador mais temido por causa do Sporting, mas o Sporting também é melhor por causa dele. E a prova de que o amor é eterno e recíproco foi o choro, que todos tivemos no final do Clássico. As Lágrimas dele foram as nossas, com duas certezas: a de que para nós ele sempre será o  nosso Sli e nós a família dele. 


Obrigada Sli, toda a sorte do Mundo para ti, porque mereces! E se um dia mais tarde, jogares contra nós lembra-te: Não vais marcar, não porque não consigas, mas porque o coração vai falar mais alto quando voltares a pisar a relva de Alvalade. 



Mariana Cordeiro Ferreira