quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Este pré para pró assusta-me!



Possivelmente este será um dos textos que ninguém esperava ler vindo de mim... mas acho que às vezes temos de mudar a rota e não falar só daquilo que se gosta.
Hoje, para contrariar o que vem sendo habitual, falo do SL Benfica... aquele que é, para mim, o principal candidato ao título. Antes que me apontem o dedo, deixem-me dizer que apesar do Sporting se ter reforçado bem e do FC Porto ter feito bons jogos na pré época, o que conta, acima de tudo, é o espírito de vencedor. E esse, apesar de todos terem, é mais notório no clube da luz, que tem vencido de forma avassaladora em Portugal. Não que isso me alegre, pelo contrário.


Não só não me alegra como me assusta. Depois de uma pré época completamente desastrosa começaram os jogos a doer... e aí? Não falharam, mais uma vez. Independentemente do nível exibicional, os encarnados ganharam. E ganhar está acima de tudo, seja de que maneira for. 
Todos sabem que o Benfica perdeu grandes referências no setor defensivo, mas também devem saber que há um Pizzi, um tal médio que ocupa todos os espaços e mais alguns... Intransponível, descobre linhas de passe que só vistas milimétricamente e logo ele que não prima muito do olhar... Que jogador! Como é que não há quem o veja... até parece ironia do destino. E que destino desagradável.


Tirando ele e, mais uma vez, a eficácia, há muita coisa a falhar neste Benfica que, apesar disso, já entrou a ganhar. E evidentemente não é só quem ganha que joga bem, às vezes há fatores bem mais relevantes e a forma como Rui Vitória agarrou no que tinha e fez a equipa jogar também é de ressaltar.


E isso assusta-me. Não que estivesse à espera de uma equipa fraca, longe disso, mas depois desta pré época esperava uma entrada menos fulgosa frente ao Guimarães. E logo o Guimarães, a equipa que tem se tornada uma presa fácil para os campeões, mas num aspeto venceu... em apoio a taça foi para os vimaranenses – que claque! Também se diz por aí que há quem não as tenha. 
Mas voltando ao que interessa, acredito que esta época seja diferente, há mais qualidade nos planteis, há mais competitividade. E no fim, no fim que vença o futebol e já agora... que se festeje nos aliados!





Filipa Mesquita