terça-feira, 8 de agosto de 2017

O menino 222 milhões



Neymar foi, até agora, o protagonista máximo do mercado de transferências deste verão.

Muito criticado por uns e compreendido por outros, o brasileiro "custou" 222 milhões de euros e vai ter um salário de 30 milhões de euros, o segundo mais alto da história do futebol, sendo apenas superado por Tevez.

Chamado de "pesetero" por muitos, o jogador de 25 anos viu ser cantado ontem, no jogo entre Barcelona e Chapecoense, "morte a Neymar". Não vamos exagerar gente, tudo bem que o dinheiro teve influência, sim o campeonato francês em nada se compara ao espanhol e o PSG é um clube com muito dinheiro enquanto que o Barça tem grandeza futebolística mas deixem de ser ingratos.

O Neymar teve a coragem que alguns não têm, sair de um clube onde já provou que é bom e tentar num outro clube, num outro campeonato, demonstrar o quão bom ele é.

O Barcelona gira em torno de Lionel Messi, é um dos melhores jogadores do mundo e um génio com os pés. Muitos dizem e com razão, que Neymar estava no Barcelona para servir o argentino, nunca na vida poderia ser superior a ele e com sorte poderá ser o seu sucessor.

Não acham injusto pedir ao Neymar para ficar na sombra do Messi por uns bons pares de anos. O argentino tem apenas 30 anos, ainda joga até aos 35 mais ou menos, Neymar tem 25, na altura de suceder a Messi terá 30 e muitos outros craques como Mbappé, Dybala e etc estarão no pico da sua carreira futebolística.

Acham bem, no ano passado, na nomeação para a bola de ouro, o nome de Neymar nem constar nos três finalistas? Era óbvio que Cristiano e Messi iriam lá estar, mas a acompanhar os dois estava Suarez, um craque sem dúvida, mas Neymar teve das suas melhores épocas no ano passado e muita gente não compreendeu porque é que o brasileiro não pertencia ao pódio.

Pensam que é errado um jogador com tremenda qualidade, qualidade para ser o melhor do mundo, procurar ser a estrela do seu clube e deixar de ser a sombra de outros? Deixem de ser hipócritas. Até parece que ele trocou o Barça pelo Real.

Concordo não é um salto na carreira, porque melhor que o Barcelona é complicado, e o PSG apesar de tantos craques e dinheiro, não tem a grandeza que o Barça tem mas vão culpar o rapaz por querer ter mais destaque? 

Não se trata de vedetismo, trata-se de ele ter qualidade para ser o melhor do mundo mas toda a gente o tratar como se fosse o "escravo" do Messi, no sentido em que ele está no Barça para servi-lo e não para o superar em alguns jogos.


Bárbara Pereira