sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Futebol - muito para além do que se vê




Desde que me lembro que sinto um amor inabalável pelo futebol. É daqueles amores que arrebata o coração, que acelera a pulsação, que coloca os nervos à flor da pele... ahhhhh, o futebol é tanto e é tão difícil conseguir descrever as emoções que desperta!

Na última semana desloquei-me ao estádio do Dragão, para assistir precisamente ao jogo do FC Porto vs Liverpool... não preciso de relembrar o resultado, nem a consequência dele, mas quero focar-me apenas numa coisa... no amor que me levou até ao estádio e me fez permanecer até ao fim.
De todos os jogos que já assisti foi, possivelmente, o que mais choveu, que mais frio fez e que, mesmo assim, não me fez levantar do cadeira. Mantive-me ali, mesmo a perder, mesmo a chover, mesmo a doer-me o coração. Partido, despedaçado, mas firme e fiel ao amor à camisola, ao símbolo que, juntos, carregamos ao peito.    

Foi esse mesmo amor, nessa derrota tão pesada, que me fez voltar a ir ao estádio no jogo seguinte, contra o Rio Ave. O resultado foi o mesmo, mas inverteram-se os papéis. Desta vez fomos nós que ganhamos, ou melhor, foi a força, a ambição e o querer. Foram os cerca de 42 mil adeptos que fizeram o dragão renascer. O ambiente estava indescritível, e a equipa andou de mão dada com cada adepto. A união fez a força e fizemos dela a nossa maior conquista.

O Porto até pode nem ser campeão - mesmo que esteja bem lançado - mas esta época ficará marcada por toda a envolvência. Tu, Sérgio trouxeste o melhor de cada adepto, cada jogador. E juntos vamos muito mais longe. 

De todos os amores que há, nenhum é mais forte do que este. Nada me faria sair do quente do sofá, para gritar durante 90 minutos debaixo de uma chuva forte e no fim levar uma derrota pesada no bolso. Mas chama-se amor, e não há nada que me mova mais.

  

Filipa Mesquita