quarta-feira, 28 de março de 2018

Dybala, a joia da Vecchia Signora



Dybala é um dos melhores jogadores do futebol atual. Aos 24 anos é um dos jogadores mais importantes da Juventus, e um dos jogadores mais cobiçados pelos colossos europeus. 

Natural da Argentina, o avançado chegou à europa com 19 anos para jogar pelo Parma de Itália. Aí, deu nas vistas, despertando a atenção de vários clubes. Transferiu-se para a Juventus em 2015 por uma quantia a rondar os 32 milhões de euros.

Ao serviço da La Vecchia Signora Paulo Dybala é uma das estrelas da equipa e um dos jogadores mais influentes. Esta época recebeu a mítica camisola 10 da Bicampeã Italiana, utilizada por "velhas glórias" como Andrea Pirlo, Alessandro Del Piero, Zinedine Zidane ou Roberto Baggio. Há três épocas com a camisola da Juventus, o argentino conta já com cerca de 129 jogos, contribuindo para 63 golos e outras tantas assistências. 

Comparado, muitas vezes, com Leonel Messi, muito em parte devido aos movimentos semelhantes, à magia com que transportam a bola e decidem jogadas. Para além, disto ambos atuam no corredor direito. 

Uma comparação injusta, porque apesar de Messi estar agora num patamar superior, Dybala com apenas 24 anos já conquistou muito no futebol e já conseguiu impor a sua marca e o seu próprio estilo de jogo. 

E, se de facto se confirmar que la joya, não irá estar entre os 23 convocados para o Mundial de 2018, só revela o quanto o futebol é injusto. Porque teoricamente, num Campeonato do Mundo devem estar os melhores, e Paulo Dybala faz parte desse lote. 

E mesmo que na Seleção Albiceleste, possa estar com algumas dificuldades em adaptar-se, a verdade é que ainda não lhe deram reais oportunidades. Pois, não é em três ou quatro jogos que se consegue vingar numa seleção tão poderosa como a argentina, e onde, ainda por cima se compete com um jogador como Leonel Messi.

Por isso, espero que a conjuntura permita que o ponta de lança esteja na Rússia, e que consiga provar a Sampaoli que os dois melhores argentinos da atualidade são compatíveis. 


Cristiana Ribeiro Pina