sexta-feira, 8 de junho de 2018

A peça que falta


Falta menos de uma semana para o arranque do Mundial e ainda não consegui habituar-me à ideia de que vamos ter um Mundial sem a Itália. Como assim? Como assim o Gigi não vai lá estar ? Como assim não vou babar com os cortes do Chiellini ? 

Estão lá as selecções todas! Portugal, Espanha, França, Bélgica, Brasil, Alemanha, Argentina e Espanha, e não, não me choca lá faltar a Holanda, choca-me sim não haver Squadra. E choca-me principalmente porque na vez deles vão os suecos, isso é que me choca! Isso é que custa engolir e aceitar. 

Eu já que já passou quase um ano desde que descobrimos que a Itália não faz parte das 32 equipas presentes na Rússia, na verdade, já lá vão seis meses e poderão passar mais seis anos, que esta imagem continuará sempre a fazer-me confusão. Esta imagem continuará a ser aquela que mais me dói, aquela que me faz ficar com a lágrima no olho. 


O Mundial não vai ser o mesmo sem ele, pode ser muito bom, pode Portugal ganhar no fim, mas um Mundial sem o guarda-redes dos guarda-redes nunca será um verdadeiro Mundial. Ainda para mais porque seria o último, ainda pra mais porque ele fez de tudo para lá estar, ainda pra mais porque ele merece. 

Sim, já não há Pirlo para bater as bolas paradas, mas isso a mim não me interessa. Ter um símbolo tão grande como o Buffon fora do Mundial não me cabe na cabeça, desculpem, mas não aceito, não só não aceito como não consigo achar nada normal. 

Se ele se reformar, eu juro, por todos os deuses enormes do futebol Mundial, que vou guardar este homem para sempre, no cantinho do coração onde se guardam as defesas que me mostram o porquê de eu amar tanto este desporto. Na verdade, a culpa é dele. 



Mariana Cordeiro Ferreira